Sejam bem vindos pois as portas estão abertas...

Tudo começou com meia dúzia de rabiscos e uma vontade estranha de congelar o que sinto, daí em diante passei a guardar estes sentimentos congelados em tudo quanto foi canto...

Sintam-se a vontade pois a casa nos pertence.





quinta-feira, 6 de outubro de 2011


O Inferno


O inferno nada mais é do que a pura solidão

Caminhar por estradas confusas

Vislumbrar sorrisos obtusos

Sonhar com terras ermas

E acordar nos seios da escuridão

O inferno nada mais é do que a pura solidão


A solidão dos moribundos

A solidão dos eternos amantes

A solidão das mentes brilhantes


O inferno nada mais é do que a pura solidão

De acordar num leito vazio privado da tua

doce mas infernal presença

Que aquece mentes brilhantes

E nos torna eternos amantes

O inferno nada mais é do que a pura solidão


A solidão dos moribundos

A solidão dos eternos amantes

A solidão das mentes brilhantes


O inferno nada mais é do que a pura solidão

Então sou visto como um moribundo

Abandonado neste inferno

Sentado na escuridão

lembro dos teus olhos

dos teus seios

do teu corpo

da tua infernal presença

E descubro que

O inferno nada mais é do que a pura solidão


A solidão dos moribundos

A solidão dos eternos amantes

A solidão das mentes brilhantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário